Make your own free website on Tripod.com

Poesia

 

Poesia em Português, sobre Portugal

 

Poesia sobre Portugal

Poesia de Amor (Para mais de 18 anos)

Poesia de Amor amadas (Para mais de 18 anos)

Poesia de Amor amadas 2 (Para mais de 18 anos)

Poesia Familiar

Frases

 

PAZ

 

A Reconstrução do ser

 

Tu que voltas a face para trás

não desistas, continua o teu rumo,

encara a vida com paz no coração

porque sem amor a vida não tem prumo.

 

Ajuda os necessitados e serás louvado,

auxilia os idosos e serás reconhecido,

ama o próximo e serás amadurecido,

pratica apenas o bem e és abençoado.

 

Apenas consegue enxergar aquele que o pretender,

para isso tem que ser profundo como o mar.

concentra-te e conseguirás ver coisas e aprender,

imagina e conseguirás acreditar... A vida está a recomeçar.

 

Só aquele que realmente quer pode mudar,

só aquele que sente pode desejar,

só confiando no próximo com tino

é possível alcançar o destino.

 

A vida é demasiado curta para ser desmedida

é demasiado sagrada para ser desperdiçada

Agarra-a com quantas forças te restarem

e ama todos aqueles que te apoiarem.

Eles amar-te-ão igualmente...

 

 

  Ínicio

 

Chuva de Amor

 

 

O amor é nobreza sem cor,

o amor é felicidade que acalma,

é um aquecedor que aquece

e nos amolece a alma.

 

Com o amor é possível sonhar,

confiar naquilo que te vai calhar,

e acalentar esperança interior.

É muito maior que a dor!

 

Uma criança ensina-te novamente a amar,

concede que podes voltar a sonhar,

todo o carinho por ela nutrido,

ser-te-á também correspondido.

 

O amor é mais forte que a razão,

mais potente que o ciúme,

mais intenso que o lume

e deve ser sentido com imensidão.

 

Rui Salema, Março de 2002.

   

 

Ínicio

 

PAZ

 

PAZ

 

 

Prefiro a paz em vez da guerra

A paz é grandiosa,

é menos ambiciosa,

contudo zela por toda a terra.

 

A destruição a nada conduz,

apenas consegue dizimar a vida,

estropiar gente que nos é querida

e apagar toda essa luz.

 

Sem guerrilhas é possível progredir,

é possível desejar,

é possível subir sem denegrir

e ao mesmo tempo poder amar.

 

Anseio pela paz mundial
algo extremamente universal,
ver os povos de mãos dadas
sem estarem amarradas.

Desejo o melhor para os meus irmãos
o melhor que eles poderão ter.
É muito mais do que me é concedido,
mas não me arrependo de o ter sentido.

Pretendia com a miséria finalizar,
com a guerra terminar,
toda a fome saciar,
e a Paz fazer perdurar.

 

 

Rui Salema, Abril de 2002.

 

 

 

Ínicio

 

PAZ II

 

PAZ

 

 

A paz é fundamental em tudo o que se faz,

com ela podes criar,

podes do mundo melhor cuidar,

o futuro das crianças podes mudar,

é felicidade que o tempo não desfaz.

 

Só com paz alcançarás o equilibrio fundamental,

para mais conhecimento poderes absorver,

e com essa energia mental mais irás ver,

melhores sentimentos virás a ter

e a fome do mundo poderás desprover.

 

Sente a paz cá dentro a durar,

e poderás todos os dias amar sem medo,

é segurança que sentes desde cedo,

é remédio que até feridas pode curar,

um sentimento a que cedo sem mais demorar.

 

Não consigo viver sem paz,

o mal, cá dentro não permanece,

para longe é expelido e logo perece,

cá dentro sentirei o que o amor trás,

o sentimento capaz que o meu cérebro bem conhece.

 

Por isso larga todo o armamento,

e poderás vidas proteger,

são boas familias que bem poderão reger,

são gente a quem pouparás de mais tormento,

e acredita que bem estar sentirás a todo o momento.

 

Assim contribuirás para tudo melhorar,

e a humanidade poderá rápidamente evoluir,

será a um outro patamar que iremos subir,

serão outros os sitios que iremos procurar,

e preocupações nóbeis na cabeça irão fluir e durar.

 

 

Rui Salema, 28 de Dezembro de 2006.

 

 

 

  Ínicio

 

Mensagem

 

 

Mensagem

 

 

Escrevo poesia com verdade,
porque a sinto com dupla intensidade.
Espero que o leitor vá sentir
que eu não estou a mentir.

É uma mensagem de esperança,
é coragem para todos,
espelhar a felicidade não me cansa,
transmitir segurança a rodos.

Pretendo-te ver a sorrir,
sentir o coração a subir,
fazê-lo trespassar o céu,
com a emoção sempre ao léu.

Quero que para cima olhes,
faço poemas sem mágoa,
para ti, que os meus versos acolhes,
sem que dos olhos libertes água.

Esquece tudo aquilo que sabes,
deixa-te transportar sem morrer,
sem nunca cortar o querer
e os céus sabes que abres.

Chamo-me Rui Salema
e tenho o seguinte lema:
Vive e deixa viver,
não te quero ver sofrer.

Se tu queres estar mais perto,
aproxima-te e vem aberto,
liberta o teu coração
e fica em comunhão.

Aquilo que tu vais sentir
é aquilo que te vai permitir
no futuro ter esperança
e no mundo ter confiança.

 

Rui Salema, Maio de 2002.

 

 

Ínicio

 

Poesia

 

 

 

 

A Poesia é algo que relaxa a mente,

algo que aquece a nossa gente.

Escrevo poemas rapidamente

e sai uma mensagem inocente.

 

As palavras rimam entre elas

estabelecendo uma ligação.

As quadras mostram-se belas

quando percebemos a intenção.

 

Aquilo que queremos transmitir

torna-se no mais importante,

naquilo que o leitor vai sentir

quando os seus olhos passarem de rompante.

 

Alguém diz que fazer poemas é apenas o pretexto,

Alguém concorda com a afirmação

sem compreender a verdadeira intenção

que jaz por trás do texto.

 

Se queres ser profundo

diz o que te vai na alma,

explica tudo com muita calma,

e vai fundo no assunto.

 

Pega na caneta, nas folhas

e escrevinha umas linhas,

emana essas graciosas rimas

e joga fora todas as rolhas.

 

 

 

Ínicio

 

 

Pura Poesia
 

 

 

Quando sinto vontade, escrevo,
quando me apetece, descrevo,
sempre que quero digo,
sempre que não quero abrigo.

Isto é a pura poesia,
laivos perfumados de maresia,
saibros ladeados de cortesia,
é a mais verdadeira magia.

Sentir o calor cá dentro a crepitar,
é sentir amor e depois levitar,
é um gostar sem mais terminar,
este tremor leva-me nele a acreditar.

É um gostar sofrido,
é um querer contido,
que me deixa esta dor,
que dói com grave ardor.

Quero voltar a gostar,
gostava de voltar a amor sentir,
não um qualquer sentimento de assustar,
mas um puro amor sem mais poder mentir.

É confiança mútua,
é uma mútua liderança,
que me relega esperança
e uma eterna herança.

Quero fazer rimas interessantes,
dizer o que sinto
e sentir que não minto,
apenas abordar verdades relevantes.

Sempre que me sinto sozinho escrevo,
desabafo no papel, ele é o meu fiel amigo,
que me acolhe confissões de relevo,
que são poemas, são as coisas que eu digo.

Um poema é uma bola de sentimentos,
um rodilhão de emoções,
que deixam ao leitor autênticos momentos
de mágicas rimas em porções.


Um poema é rico de sentidos,

susceptível a muitas relevantes interpretações,

caracterizado por versos e algumas tentações

que alentam a alma com os pensamentos tidos.


Cada estrofe lega algo importante,
revela um acontecimento relevante,
ou um sentimento revelador
será ele de sofrimento e dor?
 


Rui Salema, Outubro de 2005.

 

 

Ínicio

 

Poeta

 

 

Ser poeta é voar mais alto,

é fazer pender versos lá do alto,

é exprimir alto o sentimento

e sentir as coisas bem cá dentro.

 

Ser poeta é dar asas ao pensamento,

fazer jus ao sacramento,

é dizer aquilo que sente,

com uma calma urgente.

 

É alongar uma ideia,

pensar numa sereia,

prolongar tudo em detrimento

daquilo que se pretende falar.

 

É dizer as coisas de outra maneira,

espelhar o saber em cada momento,

esperar do outro lado contentamento.

É nunca fechar a torneira.

 

É falar sem calar,

é ter e não perder,

é escrever e poder ler,

é dizer sem declarar.

 

É saber e aproveitar

o que a vida tem para dar,

é pensar e escolher

aquilo que se pretende lembrar.

 

Ser poeta é ter inspiração,

é ter muita comichão,

é sentir cócegas na mão

e dar a opinião.

 

Dizer e escrever,

cavar sem destapar,

arder sem aceitar

aquilo que se ouve opinar.

 

Pensar em palavras

articuladas por rimas,

Engendrar frases bravas

com interpretações divinas.

  

Ser poeta é no tempo levitar,

é visitar distantes locais,

é a cultura sempre fitar

e fazer luz aos ideais,

 

O valor destes poemas

pouco me importa,

não tenho esses dilemas,

nem isso me comporta.

 

Escrevo apenas para dizer

que quem diz coisas em poesia

tem a cortesia de ser verdadeiro,

diz as verdades o tempo inteiro.

 

Transmito a pura verdade

e sem grande vaidade

escrevo ternura

com doçura e acuidade.

 

Um poeta sente as coisas com verdade,

di-las com dupla intensidade,

depois vê-as com cordialidade.

 

Com a caneta na mão, escrevo,

são palavras cheias de sentido.

O sentido que agora eu descrevo,

são sentimentos que não tenho esquecido.

 

Um poeta nutre uma sensibilidade original,

são sentimentos que na pele estão vincados,

são palavras e letras sem final

que no papel perduram tatuados.

 

As rimas são melodia translúcida,

com versos adornados de acústica

que permitem ser lidos em qualquer lado

e que nos cantam o seu significado.

 

A caneta é o prolongamento da voz,

permite-me escrever aquilo que sinto,

digo o que penso a todos nós,

falo claro, e olhem que não finto.

 

Um poeta não é um viajante qualquer,

nem um caminhante só, sequer,

ele deixa algo desconcertante,

deixa a sua mensagem por onde quer.

 

Qual cavaleiro andante,

montado no seu corcel

inspira-se desse mundo deslumbrante

e expira as suas ideias no papel.

 

Rui Salema, Abril de 2002 / Junho de 2002 - Final em Abril de 2005

 

 

 

Ínicio

 

Sente-me a sentir

 

É sentimento que vem do meu interior,
bem junto deste coração solitário
é um sentimento solidário,
que a todos bem emana para o exterior.

A alma cresce gradualmente
o ser movimenta-se incessantemente
poderá ele ser auto-suficiente?
ou estará apenas dormente?

É a vida a palpitar,
é a vida a sangrar,
sangra deste coração
enorme como esta oração

Nele sinto a dor a bater,
mais uma vez ela chega sem avisar,
instala-se dentro do meu ser
e a só a ele quer visar.

Esquisito este sentimento,
é puro sofrimento,
este que eu apuro neste momento.

Largo é este momento,
integral é o tormento,
acidental, mas eu não comento,
palavras, levou-as o vento.

Sentes esta lenta agonia?
é pura letargia,
que lentamente vai e vem,
que se instala como lhe convém.

Sentes este meu apelo?
é triste, mas com zelo,
amargo, consegues vê-lo?

Sentes este meu sentir
sentido por não te ver?
comedido por não poder ter?
retido por não antes saber.

Sentes as sombras à noite? Nem um pio.
Ouves os seus barulhos assoprando no ouvido?
é assustador o corpo com esse arrepio?
e os tremores causados pelo estalido?

Inocentemente consigo-me exprimir,
recentemente não te vi sorrir,
claramente não te vejo a me ver,
alegremente fico por ser eu mesmo a ser.

Sinto esse teu lamento,
será de alegria ou apenas contentamento?
estarás bem assim ou é também tormento?
Penso que irás mudar de vida a qualquer momento.
 

Rui Salema, Setembro de 2005.

 

 

 

Ínicio

 

Poema em vácuo

 


Pensar e sentir em vácuo,
são pensamentos colados na pele,
são edemas sem recuo
momentos de um êxtase que repele.

Sentir o conhecimento a rolar,
é sentir o querer cá dentro a pular,
é querer para muito vir a desejar,
é por dentro arder e por fora arejar.

Sentir a vida nas veias a correr,
levitar perante problemas de não mais esquecer,
aprender a evitar o tema mais confuso
e viver numa antecipação que sempre uso.

Fazer ou não saber,
fazer até mais não poder ,
saber fazer para nunca perder.

Permitir mais poder conhecer,
é mais poder aprender,
mais saber vir a dominar
e num mais maduro fazer culminar.

Pensar em vácuo,
sem mais respirar,
é o ar conter e não expirar,
são ideias puras, sem ar inócuo.

Seguro a respiração,
penso em antecipação,
só depois respiro então.

Vive cada momento intensamente,
sente lá dentro uma forte sensação do além,
associa-a a uma música a um lugar ou a alguém
e recordarás esse algo e essa boa gente.


São intensos sentimentos,
fortes sensações,
leves tentações,
autênticos monumentos.

Procura apenas aquilo que interessa,
apenas procura,
larga todo o que desinteressa
e sentirás uma grande frescura.

Depois de o desejado encontrar
não se deve fora deitar,
guarda-se para mais não ter de procurar.


Rui Salema, 04 de Novembro de 2005.

 

 

 

  Ínicio

 

Ser ou não saber

 

 

Querer ser ou não ser,

qual deve ser a postura

para alcançar o saber,

para poder então ter.

 

Dizer ou não dizer

poder ou não fazer,

querer ou não querer,

ter ou não saber.

 

Poder mais querer saber,

é mais poder no futuro imaginar,

e no presente mais poder confiar,

é assegurar o saber fazer.

 

Ir ou apenas ficar,

apetecer ou querer arrastar,

permanecer ou ter de ralhar,

Sair ou ir trabalhar.

 

Rui Salema, 08 de Dezembro de 2005 (actualização).

 

 

  Ínicio

 

A essência do ser

 

 

Procurar a verdade e voltar a procurar,

procurar até mais vir a encontrar,

ela permanece no interior da cabeça,

esperando que com ela, outras verdades teça.

 

Pensar em mais o que pensar,

estar activo e ter boas ideias,

elas devem-se concretizar e adensar,

enfim. libertar a cabeça de teias.

 

Sentir no ar a espera a levitar,

de pés no chão a espera se deve evitar.

Pensar se esse pensamento é realmente teu,

sentir que ninguém mais to deu.

 

É um sentimento de paz este que não quero perder,

é um sentimento de bem querer,

estar bem com toda a gente,

querer bem a todos e disso estar ciente.

 

Deve-se perdoar com realismo,

com sensibilidade e pragmatismo,

procurar ver o lado bom com algum altruísmo

e afastar o lado mau sem pessimismo.

 

São sentimentos genuínos estes que cá dentro batem forte,

É mesmo esperança e fé verdadeira,

é o acreditar numa vida inteira,

é sentir a vida a passar e conseguir esquecer a morte.

 

Acreditar em algo é imaginar,

é preconizar sem nunca hesitar,

é acertar sem falhar,

vigorar e assim na cabeça figurar.

 

Seguir um rumo natural,

marcar prioridades e objectivos de acção,

realizar tudo no plural

e no final, é a real satisfação.

 

Rui Salema, 11 de Agosto de 2006

 

 

Ínicio

 

O Pensador

 

 

Pensando

 


Procuro sempre mais saber,
é aquilo que desejo ter,
nada pouco importante,
mas algo muito relevante.

Procuro algo mais profundo,
algo que faça girar o mundo,
fico atento ao rolamento,
que desliza no pavimento.

Para aspirar o conhecimento,
é necessário ter vontade,
é preciso ler a verdade
e avançar sem acanhamento.

 

Adoro o pensamento mais profundo,
algo que sacie a minha sede,
sede de conhecimento,
que abrange todo o mundo.

Quando me concentro no que quero
o mundo para de girar,
penso, volto a pensar,
não desespero, sempre a rodar.

Aprecio uma leitura de cativar,
que dure horas de papo para o ar,
gosto mesmo é de imaginar,
como é que a estória vai terminar.

 

 

 

  Ínicio

 

O Problema

?

 

O Amanhã não é mais adiável,

é premente resolver este problema

antes que o tarde entre em cena

e o impeça de forma inexplicável.

 

Tentativas infrutíferas tentam uma resolução,

é possível que o cálculo esteja errado?

depois de tanta precisão,

não posso estar equivocado.

 

Eis que chega a solução,

do nada surge a resposta à questão

é algo extremamente inesperado

e mesmo bastante atribulado.

 

 

 

 

Ínicio

 

O Sonho

Sonho

Sonhei que voava raso,
no entanto era um voo seguro,
tudo ultrapassava sem caso,
bem rente ao chão duro.

No sonho não havia intrigas,
nem havia muitas brigas,
a paz era eterna
e a civilização moderna.

Imperava o querer em comunhão,
a união como fusão,
ultrapassou-se a rebelião
e chegou-se à razão.

As disputas eram interiores,
partiam do eu para o eu,
davam alentos posteriores
e só assim conquistavam o céu.

Chegou-se então à conclusão
que a guerra era inevitável,
apagando-se a ilusão
de que esta era incontornável.

No sonho não havia armamento,
dele já não precisavam,
foi um esforço sem acanhamento,
que todos acusavam.

Ó nobre povo remanescente,
tu que só pensas com paz
e desprezas o que a guerra trás,
és povo crescente e eficaz.

A ajuda foi primordial na vida,
o afecto era a partida,
A família era alargada
e a partilha nada apagada.

Solidariedade e atenção,
é algo que pede emoção,
algo que afasta a tensão
e reserva a promoção.

As coisas eram objectos,
o dinheiro não era dinheiro,
Amar estava em primeiro
e depois vinham os afectos.

O amor, lá dentro, ficava retido,
no corpo, ele, aconchegava,
a alma, essa, tudo extrapolava
Às tantas, propaga-se o amor detido.

O homem vai ter de evoluir,
alterar os seus pensamentos,
ter de tudo saber reconstruir
e evitar novos aluimentos.



Rui Salema, 09 de Junho de 2002

 

 

Ínicio

 

Destino


Tu sabes aquilo que fazes,
se queres almejar o paraíso,
tens que ter muito juízo,
e sempre fazer as pazes.

Aquilo que tu podes alcançar
está ao alcance dos teus dedos,
não deixes de o laçar
e avança sem medos.

À frente está a razão,
bem à frente do nariz,
pensa e medita com atenção 
e ouve quem o diz.

Vai sempre a direito,
vai sempre em frente
e sempre com jeito
encontrarás algo diferente.

Percorre esse caminho
que está abençoado por Deus,
percorre-o com carinho,
e sem receio diz adeus.

És forte como o universo,
profundo como o mar,
nunca te deixes tomar
pelo lema controverso.



Rui Salema, 15 de Maio de 2002

 

 

Ínicio

 

 

O Infinito


O infinito é uma melodia,
é uma ideia que na cabeça fica,
um pensamento que a alma purifica,
uma boa acção que o tempo não adia.

Sente a boa vibração,
essa que no ar viaja,
sente-a de alma e coração
para que o querer reaja.

Insiste nesse imenso que tens à frente,
vê-o com um olhar diferente,
deseja com grande pureza,
com força e destreza.

Encontra forças para prosseguir,
descobre trunfos para conseguir,
levanta a cabeça, deves continuar,
descobre depressa, mas sem insinuar.

Evita a inércia,
imita com perícia
as melhores provas
e vais ver que inovas.

Segue sem olhar para trás,
percorre firme o teu caminho,
aprende a admirar o teu cantinho
e paz certamente encontrarás.

O animo e a felicidade,
são a mais pura realidade,
uma equilibrada humildade,
que preconizo com a idade.

De mãos dadas com o sonho,
sorve o melhor do teu dia,
encontra-lhe paz, amor e carinho,
e viverás uma vida sadia.

Interioriza que és capaz
de o infinito focar,
cultiva no interior paz
e olha que o céu irás tocar.

Rui Salema, 30 de Setembro de 2006

 

 

 

Ínicio

 

Esperança

  Aguardo pelo acontecimento esperado,
é algo que espero que se realize,
no entanto algo parece dar errado,
não há meio que se concretize.

O tempo da espera é imenso
espero por aquilo que não surge
não quero perder, então penso,
penso em algo que não urge.

Estes versos têm cariz enigmático
algo que se tarda em desvendar,
se calhar não é nada táctico,
mas apenas algo para pensar.

Esperança é ver o mundo,
contempla-lo aos olhos de uma criança,
e sentir as emoções bem fundo,
com uma força que nos descansa.

Pensa naquilo que te calhou,
pensa naquilo que ainda podes fazer,
assegura-te que o querer não falhou
e acredita que só bem te pode trazer.

Tem fé no teu futuro,
espera-o com grande fervor,
porque o tempo é um amigo puro,
e corre sempre a teu favor.

Deves ter calma nos maus momentos,
moderar as atitudes nos bons,
para cresceres com bons intentos
e aplicares todos os teus dons.

Quando chegar a hora,
deves agarrar sem demora,
sentir a musicalidade no ar
e sem esperar ao seu ritmo dançar.

Rui Salema, Abril de 2002 e Setembro de 2006.

 

 

Ínicio

 

O nosso Valor


Mesmo que não acredites
naquilo que te vou dizer
pensa nisto, tenta fazer
e poderá ser que levites.

Não queiras mal a quem não to quer,
não agridas por um pensamento qualquer,
alivia a tua alma e tenta melhorar,
sê justo com quem, só bem, te pode soprar.

Se procurares o bem
és alguém,
és alguém valioso
e não podes ser rancoroso.

Pensa com razão,
fundamenta os teus argumentos,
procura ver com atenção
e farás certeiros julgamentos.

Está em causa deixar viver,
está em causa sobreviver,
está em causa saber ver,
o resto nem consigo mais descrever...

Desejar mal a alguém inocente,
é ver maldade onde não existe,
é algo que acima se assiste,
é uma condenação demente.

Rui Salema, Setembro de 2002.

 

 

Ínicio

 

Poema cheio

 


Estou cheio, cheio de boas emoções,
contudo, esvaziado de más tentações,
na vida existem fortes sentimentos,
que nos elevam por grandes momentos.

Há que os saber nutrir,
há que os saber usufruir,
para poder a vida percorrer
e os problemas fazer desaparecer.

Guarda em ti as boas emoções
emana depois as boas sensações
como o amor ou a compaixão
que combatem a dor com paixão.

Deixa pois a bondade fluir,
sente o teu corpo em paz,
deixa a ruindade ruir
e ajuda o próximo com vontade capaz.

Sentir-te-ás então cheio,
cheio por saber dar,
cheio por saber partilhar,
cheio por não deixar tudo a meio.

Sente a vida com sentimento,
aflora sem medos e a todo o momento,
deixa a verdade envolver-te
e poderás no paraíso ver-te.

Colmata as tuas falhas,
mesmo aquelas mais profundas,
assim poderás melhorar as gralhas,
fazer e dizer algo que não confundas.
 

Rui Salema, 06 de Agosto de 2005

 

 

Ínicio

 

Um dia de cada vez

 

Um dia de cada vez,
é o que me diz o coração a bater,
equilíbrio, sanidade e paz sem esbater,
sem nunca perder a cabeça de vez.

O futuro, esse, está bem à frente do nariz,
é só levar a vida com cariz
equidade, sobriedade e alguma celeridade,
porque o amanhã não fica da mesma idade.

Sentes este meu palpitar?
Sentes a cabeça a latejar?
Não ligues, certamente é apenas impressão,
algo que apenas me deixou esta sensação.

São momentos ralos de incerteza,
que cresce até nos fazer escolher,
fazer decidir se nos queremos encolher,
ou abraçar o Mundo com certeza.

Transformar a fraqueza em força latente,
Aquecer o frio com calor inerente
à essência em nós existente
e sentir essa força que engrandece o crente.

Esperar pelo momento desejado,
suar pelo sentimento amado
respirar confiança aprumado
e sentir-se por fim realizado.

Andar depressa, com destreza,
não olhar para trás,
seguir a estrelinha que a nós preza
e desempenhar a tarefa como um Ás.

A vida é um fado de busca de certezas,
que não estão no ar ou no chão,
esta vida corre bem ao nosso lado
deves por isso acompanhá-la com cabeça, com razão.

Saber pensar para poder agir,
aprender a fazer para nada perder,
querer crescer interiormente
e apenas com humildade tudo atingir.
 


Rui Salema, 14 de Fevereiro de 2006

 

 

 

Ínicio

 

Felicidade

 

Almejar felicidade é querer ver o mundo,

é poder falar sem mágoa e obter a verdade,

é percorrer meia terra sorrindo no fundo,

é navegar pelo mar sem nunca perder a liberdade.

 

É saborear cada momento como se fosse tudo terminar,

é amar toda a gente com pureza e coração ,

é espelhar a alegria que uma criança faz germinar,

é falar não com a boca mas com a emoção.

 

Gosto dessa maneira de estar,

de admirar o teu simples olhar,

de ver-te apenas sorrir sem mais parar,

de poder sorver o teu falar.

 

És simples no pensar,

terna ao dar,

pura sem deturpar,

séria sem fartar.

 

Na vida apenas quero simplicidade,

desisto da infelicidade

esqueço toda a complexidade

e alcanço a verdade.

 

Falar verdade é estar feliz,

é prezar a quem a diz,

admirar o céu

e andar de alma ao léu.

 

Estar feliz é falar aos altos,

é gargalhar em bom som,

sem perder o bom tom.

É estar com o coração aos saltos.

 

Falar sem conseguir perder o pio,

andar sem perder o equilíbrio,

é na pele sentir um arrepio

e nos olhos flamejar de brio.

 

Saber estar nos bons momentos,

Saber ajudar nas más ocasiões,

Saber escutar as opiniões,

poder gostar sem tormentos.

 

Estar feliz é mandar as mágoas para trás,

é saber puxar para a frente o que de melhor se tem,

é saber calar a fome de outrem

e em vez da guerra fazer a paz.
 

Rui Salema, 13 de Abril de 2006

 

 

Ínicio

 

A vida como ela é


A vida segue um rumo,
uma direcção que eu aprumo
e tem vários sentidos,
são momentos no papel esculpidos.

Às vezes passa bem devagar,
às vezes não quer pegar,
segue sem abrandar,
responde sem perguntar.

Momentos de desconsolo
alturas de pleno dolo
são sentimentos que se instalam,
são sons que se calam.

A vida pode ser solidão,
pode ser também união,
pode significar vontade,
pode fazer-nos sentir saudade.

A vida passa por nós,
sempre que nos sentimos sós,
a vida entra bem cá dentro,
sempre que há um reencontro.

Sempre que a sinto no centro
ela inspira-me o meu sentir,
é um arder por dentro
e por fora mostrar sem mentir.

Sinto que quero mais sentir,
sinto que não quero mais perder,
este sentir faz-me renascer,
lega-me vontade de não mais partir.

A vida não acompanha o nosso andar,
se estou calmo e serenado, ela passa devagar,
se estou agitado, ela passa sem vagar,
quando fico parado, ela voa sem abrandar

Escuta os seus ensinamentos,
Abre-te para mais conhecimentos
e verás uma luz intensa a brilhar,
é o caminho correcto que poderás trilhar.
 

Rui Salema, 08 de Julho de 2006
 

 

Ínicio

 

Atlântico

 

 

 


As ondas batem e salpicam,
as gaivotas calmamente planam
e sem vacilar proclamam
que no mar irão mergulhar.

O Sol aquece a água do mar
que logo tépida permanece,
quente a gaivota pensa em se banhar,
é desta água que o seu corpo carece.

Profundas são as águas deste oceano,
azul intenso é a cor que desperta,
cheiro a maresia ele liberta
e frescura, na certa, ele emana. 

 

Salpicas a areia
com a tua água fresca,
recebes a sua poeira,
como quem no ar pesca.

As tuas águas reflectem
tudo o que lá do alto se está a passar
e como um pupilo prometem
nunca te deixar fracassar.

Calmamente sabes aguardar
o desfecho que está a tardar,
firmemente sabes insistir,
até a barreira desistir.

De aspecto atraente
não tens cabeça quente.
De ar ameaçador
pareces perder o pudor.

Atrais
milhares de gente
quando abre a época balnear,
é o coração que sente
o Verão a estontear.

 

 

 

Ínicio

 

Maresia

 

 

 

Largar tudo e ir para a praia,
deixar o corpo perdido no areal,
encontrá-lo perto do mar servindo de cobaia
para ver se a temperatura da água é mesmo real.

As ondas do mar trazem frescura
são ondas que refrescam
quando os corpos desnudados nelas parece que pescam
são elas a verdadeira e a mais pura cura.

As gaivotas no ar pairam
por cima do mar elas piam,
e trazem uma calma relaxante
a este mar agitado e excitante.

A areia por baixo repousa em paz,
suave e fofa, ela os pés ampara,
com os seus leves grãos o corpo ela repara,
são autênticas massagens que ela nos faz.

Nadar ao longo da praia é um bom desporto,
dar longas braçadas em autêntico furor,
mergulhar a cabeça tira o calor
e ajuda a mente a evitar o pensamento torto.

Ao longe avisto um barco tenso,
navega ao sabor agitado das ondas,
flutua nesse mar imenso
e parece dizer, anda, não te escondas.

São leves brisas de maresia,
estas que apuram a minha poesia,
são autênticos rodos de inspiração,
inspiração esta que se aloja no coração.

Ó água salgada,
desse imenso mar,
chega-te, deixa de te armar,
vem logo, não sejas malvada.
 

Rui Salema, 28 de Outubro de 2005.

 

 

 

Ínicio

 

A praia

 

 

Na praia podes descansar,

podes o corpo deixar repousar.

é nessa posição que a tua mente vagueia,

lentamente como a areia.

 

podes também desporto experimentar,

com raquetes deixas as pessoas a comentar,

com volley pões a praia num alvoroço

e com futebol fazes a praia num só troço.

 

Entras no mar e os pés vais banhar,

mergulhas após uma espera de arrepiar,

os braços da água vais retirar

e procuras águas mais profundas para o corpo afundar.

 

De repente dás um salto para o ar,

enfrentas o mar bravio com prudência,

a corrente puxa-te sem parar

para dela sair usas a inteligência.

 

Sais do mar com ar a bocejar,

cansado de tanto esbracejar,

ficas na areia a olhar

e a sua imensidão estás a contemplar.

 

Escolhes uma duna para repousar

nela sentes uma confortável harmonia

é a mente a pensar com nostalgia

naquela que, em tempos, nas mãos te veio pousar.

 

Pensas no tempo em que ela o corpo te untava,

o protector de Sol a tua pele perfumava.

Tocavas no seu braço ao de leve

e sentias uma suavidade breve.

 

De repente é a realidade que chama,

a água do corpo já desapareceu,

e deixou o teu corpo em chama

é só vermelhidão o que no teu corpo apareceu...

 

Rui Salema, 10 de Julho de 2005

Final em 21 de Julho de 2013

 

 

Ínicio

 

O Verão


No Verão sinto o sol, o corpo, a dourar
a apimentar a pele com raios de luz,
sinto-o bem cá dentro a corar,
é calor que, luz, à cabeça conduz.

Sinto o Verão e logo a cabeça vagueia,
sinto-o perto e penso na sereia,
ela inspira todo o meu ser,
é essência fundamental, é puro prazer.

O Verão sabe iluminar a vontade,
pode contrariar a saudade,
libertar uma intensa paixão
e aquecer este coração.

Gosto de navegar por esse mar dentro,
com os olhos, desbravar ondas no oceano,
sentir que nele estou, bem lá no centro,
onde as ondas não podem causar dano.

Admiro toda a sua abrangência,
Contemplo a sua grandiosidade,
Absorvo parte da sua generosidade
e respeito a sua ritmada cadência.

O Verão é uma sensação de liberdade,
é altura de deixar o corpo levitar,
a preguiça no corpo poder evitar
e na cabeça saber ler a verdade.

É ter energia no pensamento,
ter o poder do deslumbramento,
é calor que o corpo seduz,
e que até o melhor sabor induz.

Estar no Verão é iluminar as ideias,
é das areias fixar o mar,
é correr por todas essas areias
e o futuro nunca sentir esfumar.
 

Rui Salema, 08 Julho de 2006
 

 

 

Ínicio

 

O Trabalho

 

 

O trabalho desenvolve atitudes,
apura o serviço realizado
e apela para que mudes,
muda tudo o que está errado.

O trabalho serve para enriquecer
tornar forte a nossa mente
não deixando o intelecto esmorecer,
transmite ao corpo, que o sente.

Trabalha para poderes conhecer,
para poderes ver,
tocar e aprender,
para mais caminho poderes percorrer.

Nunca te arrependas de dar qualidade,
de fazer o serviço desaparecer,
com calma, sem padecer
com alma, paz e caridade.

Se é o ideal que almejas,
deves trabalhar mais nas tuas lacunas,
para que delas, os teus fortes assumas
e verás que alcançarás o que desejas.

Segue o teu instinto,
aplica a tua sapiência,
ultrapassa a sua saliência,
dá a ele um ar distinto.

Usa nele apenas a verdade,
aplica toda a honestidade,
segue as regras com alguma liberdade,
sempre com o máximo de equidade.

Segue a razão
com esforço e dedicação,
realiza todas as tarefas determinado,
se quiseres chegar a algum lado.

Se conseguiste finalizar bem o trabalho realizado,
agora necessitas de humildade,
sem protagonismo exagerado,
com espírito limpo e muita sobriedade.
 

Rui Salema, 20 de Setembro de 2006
 

 

 

 

Ínicio

 

A Ajuda Tecnológica

 

 

 

Computador, máquina produto da tecnologia,

não é mais do que uma ferramenta,

que nos dá acesso ao puro conhecimento.

 

Conhecimento esse que transformamos em sabedoria,

aplicando-a nas diversas situações, onde a razão argumenta,

possibilitando-nos certezas e um querer duro como cimento.

 

Usa o computador para poderes usufruir,

Aprende a sua "linguagem" para lhe poderes "falar"  de especialidades,

só assim poderás então nutrir

de todas as suas potencialidades.

 

trabalhas então dias a fio,

sem parar nem dás pelo tempo decorrer,

é trabalhar sempre num salutar desafio,

num gosto que a palavra não pode escorrer.

 

É um trabalho que desempenhas incessantemente,

aquele que tens de terminar necessariamente.

Mas, que com a ajuda divina consegues realizar

e com o computador vais mesmo concretizar.

 

Então tens o teu trabalho compensado

e recebes aquela resposta

aquela pela qual tens pensado

resposta que no ecrã aparece exposta.

 

A moral deste poema é superar,

trabalhar para não ter mais por que esperar,

avançar sempre sem receios,

percorrer montanhas e lagos sem freios.

 

Rui Salema, 10 de Julho de 2005 

 

 

Ínicio

 

 

Objectivos

 

Traça as tuas metas antes de mais,

delinia os teus objectivos principais.

rejeita os que não são ideais,

percorre caminhos pormenorizados

e concretiza todos os objectivos preconizados.

 

Antes de dares um passo deves mais pensar,

para melhor pensares, deves as ideias adensar,

para isso deves mais saber sorver,

então ouve atentamente quem o conhece bem

e poderás a razão ver também.

 

Aproveita bem a casa do saber,

nela amizades podes fazer,

mas importante mesmo é nela aprender,

deves querer mais conhecer

e um futuro brilhante poderás colher.

 

Para poderes ouvir, tens de te concentrar,

foca o que te deve nteressar,

não deixes os pensamentos deturpados entrar,

responde e participa com exactidão

e podes aguardar a promoção.

 

Tens de ser bom para singrar,

para isso deves saber de cor realizar,

deves ser hábil e lesto,

eliminar lacunas e gostar do «resto»

e a perfeição tens de tocar.

 

Rui Salema, 04 de Dezembro de 2006
 

 

 

Ínicio

 

A nossa Escola

 

 

A nossa Escola

 

 

Aprende mais, alcança mais saber,

cultiva o gosto por aprender

e verás então que o tempo que quiseste perder

ganhaste-o com com um mais que querer.

 

Para quereres mais saber, deves por isso lutar,

deves sempre mais querer almejar

para isso prepara-te para o disputar

e jamais deixes o pensamento rastejar.

 

Eleva-o bem alto

e lá de cima dá-lhe balanço,

deixa-o tudo percorrer de um só lanço

e se por acaso o vires baixar dá o salto.

 

 Por isso entra na casa do conhecimento,

entra, mas com convicção

e terás rodos de discernimento,

que te porão as ideias em pura fricção.

 

Entra, mas entra com disciplina,

senta-te, toma uma cadeira,

ouve a nova matéria da disciplina,

em silêncio e de forma ordeira.

 

Não percas a compostura,

respeita o teu colega,

auxilia o funcionário que a tua ajuda prega

e cumpre todas as normas com alma pura.

 

Só deves interromper o professor

em caso de dúvida, lapso ou para brilhar,

lembra-te que as aulas são um futuro promissor,

um caminho que certamente irás trilhar.

 

Longos são os desígnios,

enorme é a esperança,

raciocinar é como uma terna dança,

que na cabeça agita neurónios.

Rui Salema, 10 de Abril de 2005

 

 

 

Ínicio

 

A Escola Portuguesa

 

 

 

 

Nunca deixes de mais querer saber,
vem à casa do conhecimento,
com ganas de o saber querer na cabeça reter
e aprende mais com um grande atrevimento.

Pega nos livros, essa grande fonte de sabedoria,
aplica isso que aprendeste e leste, nas tuas aulas, com mestria,
mostra aos colegas e professores que também és brilhante,
adquire esse estatuto de aluno marcante.

Continua sempre a evoluir,
mais e mais conhecimento nutrir,
deixa-te envolver nas disciplinas com alma
trabalha e participa bem nas actividades com calma.

Na sala de aula tens de ter um comportamento exemplar,
mostra a todos que sabes movimentar-te com atitude sem saires do teu lugar,
é um estar diferente, é o querer mais reconhecimento e respeito alcançar.

Aos olhos do professor tu és unico e especial,
na engrenagem da Escola, tu figuras incortornávelmente,
é por ti que toda a escola funciona e é fundamental,
é para ti que os funcionários se esforçam e se aplicam diáriamente.

Sê assiduo e mostra os bons valores que defendes,
aqueles que a tua familia te transmite,
dá o melhor exemplo que puderes para os colegas restantes,
e mostra interesse pela matéria que o professor ensina e emite.

Mostra aos funcionários solidariedade e bom senso,
responde com bons modos e de forma amavel,
não fiques irritado com os maus modos de um colega pouco afável
e ajuda todos com um sorriso verdadeiro e denso.

Os teus professores e mentores ensinam-te uma lição de vida,
trata-os sempre com muita distinção,
eles já passaram pelos problemas que padece a tua razão,
são eles que te formam com alma e coração
e deles deves nutrir uma verdadeira admiração.
 

 

Rui Salema, 02 de Fevereiro de 2012

 

 

Ínicio
 

Frases

 

 

Frases

 

 

O sorriso é o reflexo da Alma contente.

 

Sorrir é ficar mais bela duas vezes.

 

Numa relação, quando há respeito mútuo, Amor e sensualidade, há calor e boa sexualidade.

 

O Amor grandioso é grande e poderoso, quando é verdadeiro e certeiro.

 

O Amor de duas pessoas, é uma terna relação com muita cor; a paixão é o desejo máximo a pedido do coração.

 

Quando o Amor puro, certeiro e verdadeiro acontece, o carinho desprende, a proteção prende e a paixão rende.

 

O Amor acontece, a sensualidade aquece, a beleza apetece e a bondade, o bem merece.

 

Quem, na vida, tudo isto tem, muita felicidade irá à sua vida acrescentar também.

 

Se amas alguém, que também te ama, trata essa pessoa bem e terás de resposta o verdadeiro Amor dessa pessoa também.

 

Quem ama deseja e quem deseja quer amar.

 

O verdadeiro Amor está cheio de sabor, cor e calor

 

A partilha de afetos  carece de Amor e muitos gestos

 

A imaginação e a ficção são uma ínfima parte da realidade.

 

 

Uma grande concentração potencia as reais capacidades mentais do homem.

 

 

A organização, o método e a capacidade mental conduzem à eficiência e à competência em tudo o que desempenhamos.

 

 

O valor e a inteligência de uma pessoa não se extrai apenas das notas obtidas, até porque essas podem não ser condizentes.

 

 

O verdadeiro artista não é aquele que imita ou copia os outros, mas aquele que através das suas ideias, génio e originalidade consegue conceber as suas próprias obras.

 

 

Um poeta sente as coisas com verdade e com dupla intensidade.

 

 

Ser poeta é aspirar sempre mais, é dizer coisas fundamentais.

 

 

As pessoas que dizem coisas acertadas, devem ser incentivadas.

 

  

O segredo da interpretação mais atenta é a observação mais isenta.

 

 

Se és digno de gostar, deve-lo poder demonstrar.

 

 

Ter um objectivo é arrepiar caminho por um motivo.

 


Aquilo que és ninguém mais te pode tirar, aquilo que queres ser ninguém to pode dar.

 


Aquele que nas costas dos outros escarnece, de bom carácter não é formado e feliz não é certamente.

 


O Amanhã hoje se faz, o Ontem de novo, nada trás.

 

 

O Amanhã é incerto, o Hoje é breve e o Ontem é eterno.

 

 

Esquece hoje os pensamentos negativos e amanhã terás momentos positivos.

 


Viver o hoje com serenidade para amanhã  não ter curta idade.

 

 

O amanhã não espera, alcança-o com alma sincera

 

 

A vida dá-te liberdade para que com a idade almejes apenas a verdade. 

 


A perfeição não é alcançável, apenas aproximável.

 

 

Não hesites em mais aprender, cultiva o mais querer saber.

 

 

Se já sabes então corrige, se não sabes então o saber dirige.

 

 

Aprende para mais saber e para não mais esquecer.

 

 

Raciocinar é como uma terna dança, que na cabeça agita neurónios.

 

 

Podes nem tudo saber, contudo não desistas, porque na cabeça mais saber pode caber.

 

 

Quem pela força pretende fazer valer os seus ideais, para si, eles nunca serão reais.

 

 

Um bom líder antes de fazer uma importante diligência, mede bem as suas consequências.

 

 

 

Poesia sobre Portugal

Poesia de Amor (Para mais de 18 anos)

Poesia de Amor amadas (Para mais de 18 anos)

Poesia de Amor amadas 2 (Para mais de 18 anos)

Poesia Familiar

Data da última actualização: 01-09-2014

  Anterior    Ínicio

 

O conteúdo desta página pretende ser uno e original. Se isto não se verificar será mera coincidência.

Todo o conteúdo desta página é de minha exclusiva autoria.

 

 Home Page